sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O nosso botão de on/off

Desde muito tempo eu ouço uma historia de uma pessoa conhecida, sobre quando seu marido disse: "Agora que você tem seu filho, larga do meu pé."
CLaro que qualquer um que ouvisse isso de um marido, se ofenderia, ou sei la... Mas ela tomou a decisão naquele momento que largaria MESMO do pé dele.
Decidiu que nao teria mais ciume. Que nao se importaria mais.
E ela conta que teve impulso na primeira vez de reclamar de ciume. Teve na segunda. Na terceira... e que na quarta o impulso foi menor. E assim por diante. Ela criou pra ela uma "mentira" de que nao se importava, até realmente nao se importar.

Sem querer ja vivi algumas situaçoes na minha vida que foram exatamente iguais. Voce decide que nao vai mais se importar. Muda a chavinha para "off" e como num passe de mágica, as coisas acontecem sem você perceber.
Quando você se dá conta, você realmente não se importa mais.

E nao é dolorido. Pelo menos nao pra quem ta vivendo isso, de dentro. Se você olhar por fora, vai ver uma relaçao muitas vezes fadada ao fracasso, ja que um dos lados decidiu nao dar mais como se dava. E desse lado, tambem fica a dor das musicas compostas, das historias vividas. Fica a magoa de ter ouvido em vao a frase "nunca ninguem fez isso por mim". Fica a pena de deixar morrer aquilo que até entao parecia imortal e impossivel de se matar.

Talvez porque acelerou demais e precise de freio, ou porque a outra parte ja saturou de alguma atitude nossa. As vezes é só questao de ajuste. Nao necessariamente leva ao fracasso, né? Vamos ser positivos.

Mas o que quero dizer é que nosso botao de on/off tá plenamente nas nossas maos. Quer desligar? DESLIGA!
É facil. Acredite.

Eu tenho meu botão aqui, bem na palma da minha mao. Cansei? Off.

E por hoje é só s2

bjo
Pracy

Nenhum comentário:

Postar um comentário