sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Empoderamento feminino?

Minha amiga Cacá hoje me marcou nessa publicação.
Percebi que não faço definitivamente parte do movimento das mulheres empoderadas apesar de ser totalmente uma.
No mundo de hoje se prega que a gente pode fazer o que a gente quiser, e a gente pode mesmo.
A gente sempre pôde. A diferença que hoje a gente sabe disso.
Só que muita coisa tem se perdido no tempo por conta de tanto empoderamento.
Num bate-papo esses dias com uma amiga ela estava me contando sobre o feitio do Daime.
Falou que as mulheres têm uma função e os homens têm outra e que a função dos homens é muito mais árdua do que a das mulheres.
Isso acontece porque fisicamente existem diferenças.
Nada me impede de fazer trabalhos braçais, como nada impede homens de fazer trabalhos mais sutis. Mas eu quero isso?
Eu não vou deixar de ser feminina se eu trocar o chuveiro que queimou. E meu marido não vai deixar de ser masculino por que limpou a casa e cozinhou para mim.
Mas as coisas estão no nível em que as pessoas acham sem noção um homem oferecer ajuda a uma mulher.
É claro que eu consigo carregar essa caixa pesada. Mas é claro também que eu posso aceitar a gentileza de uma pessoa que se oferece pra carregar pra mim.
O homem caça e a mulher fica em casa cuidando da cria, né?. Isso é desde o tempo das cavernas. E já passou muuuuito tempo desde as cavernas.
Hoje somos livres para ir à caça se quisermos mas não necessariamente somos livres se quisermos ficar em casa cuidando da cria.
O movimento de empoderamento tem obrigado a gente a GOSTAR de matar o dragão e tirar o vestido cafona.
Eu não acho o vestido cafona. E eu posso, mas eu não quero matar dragões.
Não quero bater palma para memes como esses que te fazem acreditar que se você gosta de ser a princesa que é salva, você tá errada.
Eu estou sim no meu castelo esperando para ser salva. Por escolha.
Enquanto isso no meu castelo eu troco lâmpadas, conserto a porta do armário, furo a parede para colocar quadros, reformo os móveis e dou conta de tudo isso com o meu dinheiro.
Não porque eu gosto. Mas por que eu posso fazer. E faço.
E se alguém chega na minha vida para não somar nas coisas que eu não gosto de fazer - porque eu realmente sou a princesa -  então para mim não serve.
Para mim, mesmo nesse mundo de hoje de tanto empoderamento feminino, ser feminina ainda é deixar ele abrir o pote de azeitona mesmo sabendo o truque da colher e que de fato eu nunca precisaria dele pra isso.
Eu sou a princesa e gosto de ser assim. Empoderamento nenhum vai me tirar a satisfação que tenho quando presencio um ato de cavalheirismo.
Talvez esse empoderamento seja realmente benéfico quando ele empoderar PESSOAS, e não especificamente mulheres.
As pessoas precisam entender que elas podem ser e fazer o que elas quiserem sem depender das outras. Mas que elas podem se deixar depender se elas quiserem também.

Pracy

4 comentários:

  1. Pracy te adimiro por tudo que vem nós mostrando vários conhecimento.
    Eu pracy estou cansada de viver sem saber o que terá pra mim no Amanhã. Cansada de tudo,é viver sem alegrias e lutar em vão. Estou aqui para apreender com você a mudar minha história de vida,era da assembléia de Deus,não me achei fui pra umbanda e nada fui pro candomblé nada mudou só veio a piorar.tenho 46 anos e tenho dois filhos,o mas velho 26 É a casula vive comigo.meu filho mora DISTANTE. Bom eu estou cansada mesmo de só trabalha pra pagar aluguel e comer e contas.nada me sobra. Essa minha filha não tem sorte em nada. Nem em trabalho nem em namoro.aqui na net tem muitos magos mas eu sei que querem dinheiro.ja me tiram tudo nessa minha caminhada.hoje eu aprendi na portada. Me anima quando ouço você dizer que precisamos sofrer. Pois nem dinheiro tenho para ler livros.o celular não ajuda com pdf.se você poder me indicar com a praticidade eu mudar minha situação de hoje. Já sou grata.jasofri j chorei já desisti de tudo.
    Não confio em ninguém pracy.ganho pouco como segurança e nada muda.
    Não consigo amar alguém nem de me relacionar quero.fico nesse buraco sem sonhos e sem saída.quero estudar aprender e como você,mudar minha vida.sou cabeleira dés de meus 10 anos,isso é um dom.mas acabou! Me feraram em tudo,fui roubada e nada fiquei.morei na rua na casa das pessoas.fui e anda sou humilhada.e vou engolindo não baixo a cabeça pra ninguem. Mas preciso dar uma boa virada nessa BOSTA.
    Já sou grata por ler.
    Me indique o que devo fazer por favor eu venho a mais de 6 anos vendo todos no YouTube e incluo você. Hoje parei e pensei em tudo e todos,com sua história.
    Você pracy é um guerreira e quero ser feliz,ter como abrir meu salão.
    Ter dinheiro pra isso.
    Ter minha casa e sair do aluguel.
    Estou envelhecendo e ficando canasada dessa vida.
    Eu vim aqui pro um fio de esperança ainda.
    Susesso e muita luz pra você.
    Meu forte abraço fraterno.
    Gratidao minha linda.
    Brilhe muito no seu canal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tentou conhecer a medicina ayahuasca no canal da pracy fala muito foi divisor de águas na minha vida,. permita se

      Excluir
  2. Gostei muito do que você escreveu pois falou por mim, eu acho um saco ter que matar um leão todos os dias, enquanto meu companheiro acha um saco assumir questões da casa, de filhos etc. Sou feliz cuidando da família, da casa, da comida, etc - e ele é feliz nos sustentando e trabalhando na rua. Se nós nos entendemos assim e somos felizes, porque somos julgados? Não sou nem um pouco burra, já trabalhei muito na rua, mas nunca consegui me sentir plenamente feliz. Mas ok, fui matar meu leão quando foi necessário. Hoje agradeço não precisar mais.

    Aliás, eu trabalho muito dentro de casa, resolvendo mil questões para todos da família, e, claro, sempre estudando e me mantendo informada e atualizada. Justamente porque tenho mais flexibilidade de horário, sou a pessoa que mais tem informação dentro de casa. Isso é ser burra?

    Eu fico triste de ver que muitas mulheres defendem essa nova ideologia, que acaba aprisionando as mulheres novamente... e parte dessa ideologia tão valorizada é incentivada pelo sistema econômico, pois interessa realmente à economia e ao capitalismo selvagem que as mulheres estejam trabalhando e ganhando seu próprio dinheiro - para serem consumidores ávidas, tanto para si quanto para a família. Sempre há muitos interesses econômicos envolvidos no discurso da vez, não importa qual.

    Temos que entender que a liberdade é LIBERDADE DE ESCOLHA (sei que a imensa maioria das mulheres não têm essa liberdade de escolha devido à situação mesmo de necessidade, mas se você tem essa oportunidade, de trabalhar o centro de casa ou de ser mãe em tempo integral, se isso te faz feliz e você é uma pessoa saudável e afetivamente bem-resolvida e independente, qual o Mal? A ideia também de que sofrer é digno já era!) Se você pode optar por uma situação que te faz bem e que não envolve um sacrifício, qual o mal?

    Enfim, cada um encontra felicidade de uma forma diferente. Isso é pessoal e intransferível. Há muitas mulheres trabalhando na rua, ganhando muito mais até do que seus maridos, mas que são afetivamente dependentes e frágeis. É preciso fazer uma autoanálise de todo discurso que está por aí.

    Bom, é isso...

    Grande beijo, Pracy, te conheci recentemente e estou curtindo muito seus vídeos.

    ResponderExcluir
  3. PS - tenho assistido aos seus vídeos sobre goetia e acho muito interessante. Só ainda não tive disciplina e organização para começar. Quem sabe um dia? Ainda estou me inteirando no assunto, mas você me da algumas dicas boas. Valeu! Beijão!

    ResponderExcluir